Search
Search Menu

Dia 1

Por Leonardo Dutra.

“O Golf November Alfa alinha e decola da zero uno em Itápolis.”

Assim começou no dia 30 de agosto de 2016 o projeto que vai registrar o presente e o passado das escolas de aviação do Brasil.

A bordo de uma aeronave Aero Boero 180, matrícula PP-GNA, de propriedade da União Federal, decolamos às 12:30 da cidade de Itápolis (SP) para percorrer o Brasil mostrando a realidade da aviação de treinamento do país.

Leonardo Dutra e Otávio Neto

Voei na companhia de Otávio Neto, piloto e instrutor do Aeroclube de Itápolis, em um percurso pelo interior de São Paulo.

Nosso primeiro destino foi a cidade de Penápolis. Mantendo uma proa de 300º sobrevoamos por aproximadamente 1 hora o Rio Tietê, registrando belíssimas imagens em nosso caminho.

Uma frente fria que se aproximava da nossa rota apressou a viagem para o destino, contudo, o potente AB-180 segurou mais de 110kt (nós) de VI (velocidade indicada) em nosso trajeto, possibilitando nosso pouso em Penápolis poucos minutos antes chuva que chegou à cidade.

Um dos braços do Rio Tietê

Foi um voo tranquilo, coordenando na frequência livre com poucas aeronaves, por vezes mantendo 1000 ft (pés) AGL (acima do nível do solo) para registrar as belezas naturais e as curiosidades do caminho.

Chegando no Aeródromo Estadual de Penápolis fomos cordialmente recebidos no Aeroclube, instituição que merecerá um artigo detalhado sobre sua história, estrutura e realidade que será publicado aqui no Clube Aero Boero no dia 09 de setembro de 2016.

Vivian Costa, do Aeroclube de Penápolis, foi quem deu as boas-vindas para nossa Expedição enquanto aguardávamos a presença de Adalberto Antônio da Costa, o “Ticão”, oficialmente secretário do Aeroclube, mas na prática, o principal responsável pelo crescimento e operação da instituição.

AB-180 e o Aeroclube de Penápolis

Na espera da conversa com o secretário do Aeroclube aproveitamos para visitar a MANAV Manutenção de Aeronaves, oficina aeronáutica instalada no aeródromo de Penápolis, registrando imagens de aviões em manutenção, bem como, capturando fotos de aeronaves fora de operação como o AB-180 matrícula PP-FYA, de propriedade da União Federal.

AB-180 - parado na MANAV

Guilherme Almeida, piloto da aviação executiva e membro do Aeroclube de Penápolis, conversou com a Expedição enquanto acompanhava a manutenção de sua aeronave em processo de pintura dentro da MANAV.

O piloto ressaltou aspectos positivos das políticas públicas voltadas para a instrução aeronáutica no Brasil, como a padronização dos Aeroclubes exigida pela ANAC, ao mesmo tempo em que fez críticas pontuais ao trabalho da Agência de Aviação Civil, entre outros pontos, relativos à alteração do recheque por experiência recente e ao elevado valor das taxas cobradas pela Agência aos pilotos.

De volta ao Aeroclube tivemos a oportunidade de ouvir a história, os projetos e as dificuldades que a escola de voo de Penápolis superou para garantir o seu funcionamento e a instrução de voo para futuros pilotos da região.

Ticão, Otávio Neto e Leonardo Dutra (da esquerda para direita)

Fundado em 1941, o Aeroclube de Penápolis esteve fechado de 1998 até 2015 devido a dificuldades financeiras. Sem recursos para a manutenção das aeronaves, a instituição fechou suas portas por quase 20 anos, reiniciando suas atividades no último ano em virtude da obstinação de “Ticão” em reerguer esta valiosa instituição paulista.

Contando com uma frota de 4 aviões (AB-115, C-150, P-56 e C-172) a escola já formou 7 pilotos privados desde sua reabertura, bem como, aguarda liberação da ANAC para iniciar cursos de Piloto Comercial (PCA) e Instrutor de Voo (INVA). Confira mais informações sobre o Aeroclube de Penápolis aqui no Clube Aero Boero a partir do dia 09 de setembro.

download

Chove em Penápolis na noite desta terça-feira, e assim, aguardamos a meteorologia para prosseguir nossa viagem.

Confira algumas imagens do primeiro dia da Expedição Aeroclubes do Brasil.

Autor

1 Comment Write a comment

Deixe uma resposta